O faquir moderno

O faquir moderno



Há uns anos largos atrás, recebi um presente de aniversário invulgar. A minha mulher decidiu oferecer-me um tapete de picos…
Como vinha a queixar-me de dores de costas frequentes, após pesquisa extensa na internet, ela descobriu o referido tapete, que tinha a capacidade de aliviar as dores se se permanecesse pelo menos 10 minutos deitado nele, em decúbito dorsal.
Experimentei-o meia dúzia de vezes e embora moderadamente aliviado das dores, com plena desconsideração pelo gesto amoroso e preocupado e até pelo próprio valor pecuniário, acabei por encostá-lo a um canto, esquecido.

Até ao dia em que me comecei a interessar pela medicina tradicional chinesa…

Após vários anos, cursos, cadeiras e pós-graduações em Shiatsu, acupuntura e MTC, atrevo-me agora a incluir tratamentos coadjuvantes, com base nos milenares conceitos da medicina tradicional chinesa, aos meus pacientes. Não só aos meus clientes mas também à minha família e, quando necessário, a mim próprio.
Fazer acupuntura a nós próprios não é [de todo] o mais apropriado a nível energético. Era consideravelmente mais interessante ter um acupuntor idóneo em casa, a toda a hora, à disposição.
Mas, não havendo essa possibilidade, vou fazendo a mim próprio alguns tratamentos simples, mediante os desequilíbrios.

Ora, fazer a inserção de agulhas na parte da frente do corpo a nós próprios até vá que não vá… Agora nas costas a história muda completamente de figura…

As costas, mais particularmente o meio das costas, são uma zona essencialmente Yang. De um modo redutor, lá encontramos o meridiano Du mai, também conhecido como o vaso governador, e o meridiano da bexiga.
Se nos detivermos mais especificamente no meridiano da bexiga vamos encontrar vários pontos de influência: - os pontos Shu dorsais.
Ou seja, para todos os órgãos e vísceras (na medicina tradicional chinesa), vamos ter um ponto Shu dorsal que ajuda a equilibrar as funções [tratando as disfunções].
É fundamental, em inúmeros desequilíbrios, tratar estes pontos. Em Shiatsu, inclusivamente, é comum fazer uma rotina das costas, que se traduz por estabelecer o fluxo de Qi neste meridiano.
Na impossibilidade de inserir agulhas nas costas com precisão, procurei várias alternativas. Na minha procura incessante para AUTO tratamento, reencontrei o “velho” tapete.
Neste momento não há noite em que não me deite nele, pelo menos 10 minutos, até obter um relax profundo e um alívio geral das tensões e contraturas que me causam dor.

E não sou o único aqui em casa…




Todos querem o tapete e… adoram.

É mágico!

Conheço vários acupuntores que não passam sem o seu próprio tapete de picos.

Recomendo a todos! Para quem tem ou não tem dores nas costas. Faz bem a tudo e a todos. Só precisamos de nos acautelar nos casos em que a pele está comprometida nessa zona ou então se houver uma hipersensibilidade dolorosa. Nas senhoras o efeito de aumento de circulação periférica pode ser deveras interessante na intenção de eliminar a famigerada “casca de laranja”…
E, porque a sua área de influência abrange todos os órgãos e, por conseguinte, todas as funções orgânicas, o seu efeito traduz-se por um relax e bem-estar geral. Quer seja pelo reequilíbrio energético, quer seja pela melhoria da circulação sanguínea periférica ou até pela estimulação do sistema nervoso autónomo.

Têm é que aguentar os primeiros minutos. Tal e qual um FAQUIR.

Um faquir moderno…


Step out of the box,


Ricardo Novais

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Charlatanices

Laboratório de probióticos

O silêncio do ser