Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2017

Disbiose intestinal

Imagem
DISBIOSE

Quando há alterações nos nossos intestinos surgem os mais variados problemas de saúde. Todos relacionados com um grave a moderado comprometimento do sistema imunológico e subsequente envolvimento de mediadores inflamatórios. Tudo devido a uma alteração de permeabilidade intestinal.
Tenho a convicção que quando alguém se sente inchado, com excesso de peso, está, muito provavelmente, numa condição de Inflamação latente [Low Grade Inflammation] que a curto, a médio ou a longo prazo vai tornar definitivas as patologias crónicas que o vão afetando…
Mas atenção! Muitos dirão: - Mas os meus intestinos funcionam que nem um relógio…
Pois bem! A maior parte das vezes a inflamação intestinal é subclínica, não produzindo sintomas percetíveis.
Vamos então falar da disbiose: Os 100 mil biliões de bactérias que povoam a nossa mucosa intestinal têm um papel crítico na formação da barreira de proteção contra agentes comensais e patogénicos que invadem o nosso trato digestivo. Elas são também…

Há dias...

Imagem
Há dias...
Há dias que a gente de manhã, à tarde não deve sair à noite…
Ontem foi um desses dias.
Não sei se vos acontece frequentemente mas está a tornar-se um desporto nacional não atender chamadas por mera preguiça, laxismo ou quando não interessam o assunto e/ou as pessoas ou então quando não conhecemos o número…
Ora, por norma, chamadas inusitadas de números que não conhecemos são habitualmente de cariz comercial. Concordo que por vezes podem ser maçadoras. Convém contudo não esquecer que do outro lado está uma pessoa com uma família, uma vida e está, muito provavelmente, a lutar arduamente para manter o seu posto de trabalho e, subsequentemente, a sua fonte de rendimento. Respeito!
Depois há aquela situação [ainda noutro dia alertei uma funcionária de uma cadeia de supermercado deste pormenor] – o número desconhecido pode ser efectivamente uma chamada muito importante: - O trabalho que sempre sonhámos; - Aquele amigo que temos genuinamente saudades e não falamos há séculos. E… …

Thank you back

Imagem
Thank you back

Ao longo da minha vida já tive, felizmente, o privilégio de conhecer várias pessoas excecionais. Pessoas com experiências pessoais e histórias fantásticas. Vidas que davam filmes. Sagas até…
As que mais me impressionaram e me convenceram foram aquelas que abdicaram do conforto de uma vida fácil na prossecução de um sonho. De um ideal.
A mim dá-me particularmente pica conhecer pessoas desapegadas e gratas. Gratas pela vida. Gratas pelo que têm. Gratas pelo que não têm nem nunca tiveram. Gratas pelos sucessos e pelos insucessos. Gratas pela dor.
Gratas e humildes.
Por isso admiro quem, em vários pontos da sua vida, tem a coragem de tomar decisões arriscadas saindo por absoluto da sua ZONA DE CONFORTO.
No início de julho, passei 10 dias a cozinhar 14 horas seguidas refeições saudáveis para uma prestigiada companhia de dança contemporânea de Londres. Centenas de refeições. Refeições saudáveis. Refeições vegetarianas. Refeições sem glúten. Refeições sem leite de vaca e seu…

O estudo do ser

Imagem
O estudo do ser

É utópico almejarmos saber qual o nosso destino ou mesmo qual o sentido da vida.
Não obstante, lá caminhamos nós a passos largos invariavelmente e inevitavelmente para o término da nossa existência material, sem o mínimo esforço para entender qual a nossa verdadeira missão nesta nossa breve passagem no planeta.
Podia simplesmente considerar que historicamente esse ruído de fundo de cariz filosófico não nos é peculiar, como lusitanos.

Ademais, hoje, a palavra de ordem é “CRESCIMENTO” – Não podemos deixar que os bichos papões do FMI e do Banco Central Europeu pensem que somos os “piores alunos da turma”. Então, muito displicentemente, tivemos e temos o desplante de permitir o despedimento de excesso [dizem eles] de contingente laboral, exportar mão-de-obra low-cost e especializada para países chauvinistas e xenófobos, desalojar famílias e, espante-se, sugar até ao tutano o seu poder de compra.
Todo o resto ficou esquecido!
Para a maioria dos que ficaram o essencial era …