O silêncio do ser

O silêncio de Ser



Agradeço profundamente a generosa partilha da minha amiga Cristina Abreu que aceitou o desafio de escrever estas palavras:

Este fim de semana assisti a uma aula de nutrição terapêutica que gerou em mim um sentimento de “só sei que nada sei”. De facto, após o estudo de inúmeras teorias sobre as melhores dietas, os melhores alimentos, os melhores suplementos, ouvi uma médica, especialista em medicina natural, com uma experiência de vida incrível, a dizer que não podemos utilizar protocolos, temos que individualizar o tratamento e o que aconselhamos. Além disso, afirmava que é fundamental que o doente valorize o seu diálogo interior, uma vez que só assim poderá atingir a saúde plena.

E então, fez-se luz. Ali estava a validação do que eu penso há muito tempo, a minha luta dos últimos anos. Todos nós temos uma sabedoria interna, que nos conduz pelo caminho correto, como uma luz na noite escura. O nosso corpo tem capacidade de auto cura, que pode ser potencializada por um terapeuta. Mas o verdadeiro poder de cura está dentro de nós e é único em cada um. Por isso, protocolos de tratamento não fazem sentido, dietas maravilha não fazem sentido, curas naturais milagrosas não fazem sentido.

O que faz sentido? Sentar, acalmar a mente e ouvir. Não o barulho do mundo exterior, mas a nossa voz interior. Não os frenéticos pensamentos do que temos que fazer ou do que fizemos, mas uma voz subtil, que surge quando o corpo e a mente relaxam e nos entregamos a um momento de silêncio, de paz, de não resistência.

A isto chama-se meditação.

Não é necessário um local especial, uma técnica especial, uma roupa especial, uma música com sons da natureza ou taças tibetanas. Tudo isto é bom, mas não é necessário. Basta um local sossegado, fechar os olhos e focar no barulho da nossa respiração. Os pensamentos vão surgir e, sem julgamentos, observamo-los e voltamos a focar na respiração. É preferível meditar todos os dias 5 minutos, do que 1 hora num só dia da semana. Ao fim de algum tempo, a transformação que se produz em nós é fenomenal. Ficamos em sintonia perfeita com a Vida e com o nosso Eu interior, começamos a saber o que é melhor para nós. O que comer, como exercitar, quando descansar, como amar, como VIVER!

Nós nascemos com um livro de instruções, apenas temos que aprender a lê-lo. A meditação é uma ferramenta simples mas muito poderosa, acessível a todos, benéfica para todos. Desafio a experimentarem, sem grandes objectivos, só pelo prazer de estar em sintonia com a calma interior. Se no primeiro dia for difícil, não desistam.

Aos poucos vão encontrando aquele espaço interior de silêncio, o silêncio de simplesmente Ser.


Obrigada Ricardo pelo convite de deixar estas palavras no teu fantástico blog, um espaço onde se respira liberdade de expressão, com muita sabedoria.

Cristina Abreu, especialista em fitoterapia e homeopatia

Comentários

  1. Há muito tempo que quero iniciar a meditação, simplesmente não sei como. Meditações guiadas em frente ao computador para mim não fazem sentido nem resultam. Encontrar um local sossegado também não é fácil, mas hei de conseguir dedicar esses 5 minutos a mim! Tudo é uma questão de começar e, como dizes, Cristina, não desistir até encontrarmos a nossa própria maneira de meditar!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Charlatanices

Laboratório de probióticos